Marcelino Freire: ação política pela palavra

  • Maria Zilda Ferreira Cury Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Gleidston Alis Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Resumo

Marcelino Freire, contista notável da geração contemporânea da literatura brasileira, constrói um universo ficcional muito particular, no qual seus personagens — oriundos predominantemente das camadas marginalizadas da sociedade brasileira — colocam suas vozes em cena para escancarar nossas mazelas sociais. Isso se manifesta de forma muito especial no tocante à hipocrisia dos discursos acerca da universalidade dos direitos prescritos em lei, numa sociedade tão marcadamente desigual como a nossa. A ironia é estratégia discursiva importante para o autor nessa empreitada, e a violência parece ser um dos poucos recursos acessíveis para que as vozes evocadas por Marcelino invadam o espaço público, para o qual jamais seriam convidadas. Essas são as questões fundamentais debatidas neste artigo, nesses tempos em que o espaço público se retrai, o interesse comum é suplantado pelo interesse privado e até mesmo os direitos ainda sequer efetivamente garantidos são revogados em favor de privilégios.

Referências

Agamben, Giorgio. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua — I. Tradução de Henrique Burigo. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2002.
Agamben, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.
Almeida, Geruza Zelnys de. Oralidade e improviso em Marcelino Freire: ritmo, voz e subjetividade na leitura de “Totonha”. Signum, Londrina, v. 13, n. 2, p. 43–58, dez. 2010.
Alves, Castro. Obras completas de Castro Alves. São Paulo: José Olympio, 1938.
Arendt, Hannah. A condição humana. Tradução de Roberto Raposo. 10. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2007.
Barbosa, João Alexandre. Prefácio. In: Freire, Marcelino. Angu de sangue. São Paulo: Ateliê, 2000.
Bauman, Zygmunt. Modernidade líquida. Tradução de Plínio Augusto de Souza. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.
Bauman, Zygmunt. Vidas desperdiçadas. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.
Bobbio, Norberto. A era dos direitos. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Campus, 1992.
Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2017.
Brasil. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2017.
Chauí, Marilena. Direitos humanos e medo. In: Fester, A. C. Ribeiro. Direitos humanos e… São Paulo: Brasiliense, 1989.
Cury, Maria Zilda Ferreira; Walty, Ivete Lara Camargos. O intelectual e o espaço público. Revista da ANPOLL, Belo Horizonte, n. 26, p. 221–232, jul./dez. 2009.
Cury, Maria Zilda Ferreira. Intelectuais em cena. In: Cury, Maria Zilda Ferreira; Walty, Ivete Lara Camargos (Org.). Intelectuais e vida pública: migrações e mediações. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2008.
Foucault, Michel. Microfísica do poder. Tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1979.
Freire, Marcelino. Angu de sangue. São Paulo: Ateliê, 2000.
Freire, Marcelino. Balé ralé: 18 improvisos. 2. ed. São Paulo: Ateliê, 2003.
Freire, Marcelino. Contos negreiros. Rio de Janeiro: Record, 2005.
Freire, Marcelino. Rasif: mar que arrebenta. Rio de Janeiro: Record, 2008.
Freire, Marcelino. Amar é crime. São Paulo: Edith, 2010
Habermas, Jurgen. L’espace public. Tradução de Marc R. de Launay. Paris: Payot, 1993.
Hall, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Tradução de Adelaine La Guardia Resende et al. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2003.
Lipovetsky, Gilles. A era do vazio: ensaios sobre o individualismo contemporâneo. Barueri: Manole, 2005.
Noll, João Gilberto. Espumas e arrepios. In: Freire, Marcelino. Balé ralé: 18 improvisos. 2. ed. São Paulo: Ateliê, 2003.
Sudbrack, Umberto Guaspari. O extermínio de meninos de rua no Brasil. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 18, n. 1, jan./mar. 2004.
Wolton, Dominique. Pensar a comunicação. Tradução de Zélia Leal Adghirni. Brasília: Editora da UnB, 2004.
Publicado
2017-07-23
Como Citar
CURY, Maria Zilda Ferreira; ALIS, Gleidston. Marcelino Freire: ação política pela palavra. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, [S.l.], n. 25, p. 120-148, jul. 2017. ISSN 2183-816X. Disponível em: <http://revistaveredas.org/index.php/ver/article/view/373>. Acesso em: 19 ago. 2017. doi: https://doi.org/10.24261/2183-816x2507.
Seção
Artigos