“Yes, nós temos bananas”? Uma análise de estereótipos brasileiros revisitados em eventos culturais e esportivos no Brasil

  • Fernanda Lima Rabelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense
Palavras-chave: representações, Brasil, grandes eventos, estereótipos

Resumo

A partir da referência da música de Braguinha, de 1937, esse artigo tem como objetivo realizar uma análise de estereótipos brasileiros reforçados nos séc. XX e XXI, revisitados nas apresentações de grandes eventos na história recente, através da análise de desfiles de escola de samba e aberturas dos eventos internacionais que o Brasil sediou em 2014 e 2016, a Copa do Mundo e as Olimpíadas e Paralimpíadas. A partir da discussão da imagem do Brasil na mídia internacional, e especialmente da valorização de uma imagem nacional mais fortalecida e menos dependente do governo brasileiro, pretende-se ainda entender como que estereótipos do Brasil foram reforçadas ou criticadas pela mídia internacional e organização dos eventos sediados no Brasil, em um movimento ambíguo de reforço e mudança da imagem do país televisionada internacionalmente. Na intenção de trazer uma análise do fortalecimento da imagem brasileira no exterior, busca-se discutir não apenas o papel de estereótipos e clichês na criação de uma imagem internacional do país, mas também a construção de uma nova imagem em narrativas que buscam uma maior valorização da cultura brasileira.

Referências

Amancio, Tunico. O Brasil dos gringos: imagens no cinema. Niterói: Intertexto, 2000.

BBC é Criticada por vídeo do Rio com estereótipos para as Olimpíadas. Na Telinha, Rio de Janeiro, 12 July 2016. On-line. Available at: <https://bit.ly/2KBdA8p>. Accessed: 29 Oct. 2017.

Beller, Manfred; Leerssen, Joep (Ed.). Imagology: the cultural construction and literary representation of national characters — A critical survey. Amsterdam; New York: Rodopi, 2007.

Buarqe, Daniel. One country, two cups — The international image of Brazil in 1950 and in 2014: a study of the reputation and the identity of Brazil as projected by the international media during the two FIFA World Cups in the country. International Journal of Communication, Los Angeles, v. 9, p. 1300-1318, 2015. Available at: <http://ijoc.org/index.php/ijoc/article/view/3351>. Accessed: 29 Oct. 2017.

Can Brazil be considered the biggest Banana Republic? Quora, [S.l.], [s.d.]. On-line. Available at: <https://bit.ly/2M4t4ao>. Accessed: 23 May 2017.

Cena de abertura com Gisele causa problema. O Dia, Rio de Janeiro, 2 Aug. 2016. Available at: <https://bit.ly/2vw0Lrj>. Acessed: 1 Aug. 2016.

Cifuentes, Pedro. Em meio à crise política, quem se lembra das Olimpíadas de 2016? El País Brasil, Rio de Janeiro, 3 Mar. 2015. On-line. Available at: <https://bit.ly/2noJFXG>. Accessed: 8 Apr. 2018.

Corrêa, Alessandra. Para críticos de Olimpíada, Rio deveria ter outras prioridades. BBC Brasil, São Paulo, 2 Oct. 2009. On-line. Available at: <http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2009/10/091002_olimpiada_criticos_ac>. Accessed: 29 Oct. 2017.

Gomez, Eduardo J. Foreign policy: why Brazil won the 2016 Olympics. National Public Radio, Washington, 5 Oct. 2009. On-line. Available at: <http://www.npr.org/templates/story/story.php?storyId=113493385>. Accessed: 28 Oct. 2017.

Hartog, François. O espelho de Heródoto: ensaio sobre a representação do outro. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1999.

Kajihara, Kelly. A imagem do Brasil no exterior: análise do material de divulgação oficial da Embratur, desde 1966 até 2008. Observatório de Inovação do Turismo — Revista Acadêmica, v. 5, n. 3, p. 1-30, Sept. 2010.

Maciel, Ricardo de A. Música popular, habitus profissional e classe social: uma análise da trajetória artística de Braguinha. Teoria e Cultura, Juiz de Fora, v. 8, n. 2, p. 76-86, Jul./Dec. 2013.

Martín, María. A noitada que Ryan Lochte não queria que o mundo soubesse. El País Brasil, Rio de Janeiro, 20 Aug. 2016. On-line. Available at: <https://bit.ly/2vz4jZE>. Accessed: 16 Aug. 2017.

Nickalls, Sammy. Ryan Lochte was suspended for 10 months because of #Lochte-Gate. Esquire, New York, 7 Sept. 2016. On-line. Available at: https://bit.ly/2OpGhY7. Accessed: 8 Apr. 2018.

Nye, Joseph S. Soft power: the means to success in world politics. Cambridge: Public Affairs, 2004.

Ortiz, Renato. A moderna tradição brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1988.

Paranhos, Adalberto. Percursos sociais do samba: de símbolo étnico e popular ao samba de todas as cores e classes. In: Simpósio Nacional de História — Anpuh, 26., São Paulo, Jul. 2011. Anais... São Paulo: ANPUH, 2011. Available at: <https://bit.ly/2vPkb9S>. Accessed: 27 Oct. 2017.

Público reage e assalto a Gisele Bündchen é retirado da abertura da Rio 2016. Sputnik Brasil, [S.l.], 1 Aug. 2016. On-line. Available at: <https://bit.ly/2KEEoEQ>. Accessed: 28 Oct. 2017.

Rangel, Sérgio. Ensaio para abertura da Rio-16 tem fones para dançarinos e sigilo absoluto. Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 June 2016. On-line. Available at: <https://bit.ly/2nnwwhJ>. Accessed: 07 Apr. 2018.

Ribeiro, Flávia. Da aldeia do Brasil para o mundo: emocionar uma festa para o planeta. Isto É 2016, São Paulo, n. 5, 13 June 2016. Available at: <https://bit.ly/2KGjBR1>. Accessed: 28 Oct. 2017.

Sallas, Ana Luisa. Narrativas e imagens dos viajantes alemães no Brasil do século XIX: a construção do imaginário sobre os povos indígenas, a história e a nação. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, p. 415-435, Apr./June 2010.

São Paulo e Rio de Janeiro lideram turismo nacional. Governo do Brasil. Brasília, 2 Sep. 2013. On-line. Available at: <http://www.brasil.gov.br/turismo/2013/09/sao-paulo-e-rio-de-janeiro-lideram-turismo-no-brasil>. Accessed: 29 Oct. 2017.

Sarmiento, Domingos. Facundo or civilization and barbarism. New York: Penguin, 1998.

Scarpini, Vinícius Moraes. Os prós e os contras dos jogos olímpicos e paraolímpicos no Rio. ESPN, São Paulo, 2 Oct. 2009. On-line. Available at: <https://bit.ly/2vy9adH>. Accessed: 28 Oct. 2017.

Schwarcz, Lilia Moritz. O som do silencio: uma nota sobre a abertura dos Jogos Olímpicos de 2016. Nexo Jornal, [S.l.], 15 Aug. 2016. On-line. Available at: <https://bit.ly/2vwvX9F>. Accessed: 15 Aug. 2016.

Shaw, Lisa. São coisas nossas: samba and identity in the Vargas Era (1930-45). Portuguese Studies, London, v. 14, p. 152-169, 1998.

Stycer, Mauricio; Duarte, Fernando. À luz do dia, festa de abertura repete clichês e tem pouco impacto visual. Uol Copa, Rio de Janeiro, 12 June 2014. On-line. Available at: <https://bit.ly/2noLtju>. Accessed: 28 Oct. 2017.

Veja a programação da cerimônia de abertura da Copa do Mundo. Uol Copa, Rio de Janeiro, 12 June 2014. On-line. Available at: <https://bit.ly/2OW1Oss>. Accessed: 29 Oct. 2017.

Viscardi, Adriana Woichinevski; Sottani, Silvânia M. Ribeiro; Silva, Éder José da. Carnaval: entre a contradição de classes e o produto midiático espetacular. Estação Científica, Juiz de Fora, n. 9, p. 1-21, Jan./June 2013.

Where did banana republics get their name? The Economist, London, 21 Nov. 2013. On-line. Available at: <https://www.economist.com/blogs/economist-explains/2013/11/economist-explains-16>. Accessed: 28 Oct. 2017.

Williamson, Kevin D. Six days in May. National Review, New York, 21 May 2017. On-line. Available at: <http://www.nationalreview.com/article/447826/donald-trump-banana-republic-brazil-impeachment-democracy>. Accessed: 23 May 2017.

Publicado
2018-09-10
Como Citar
RABELO, F. “Yes, nós temos bananas”? Uma análise de estereótipos brasileiros revisitados em eventos culturais e esportivos no Brasil. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 27, p. 85-103, 10 set. 2018.