A literatura romântica portuguesa sob o olhar de Álvares de Azevedo e Lopes de Mendonça: diálogos críticos

  • Natália Gonçalves de Souza Santos Universidade de São Paulo
Palavras-chave: romantismo português, Álvares de Azevedo, Lopes de Mendonça

Resumo

O ensaio “Literatura e civilização em Portugal”, de Álvares de Azevedo, divide a história literária portuguesa em duas fases que já vêm designadas em seu próprio título: a heroica, dedicada a Ferreira e Camões, e a negra, circunscrita a Bocage. Porém, para além do cânone já estabelecido, Azevedo faz um importante comentário, embora panorâmico, sobre aquilo que havia de mais recente no cenário literário português em torno de 1850. E, para isso, recorre aos escritos também recentes de um crítico contemporâneo, Lopes de Mendonça, e seus Ensaios de crítica e literatura (1849), coligidos de uma publicação anterior no periódico A Revolução de Setembro. A leitura feita pelo ensaísta brasileiro sinaliza, em uma geração literária cujo interesse se voltava notadamente para França e Inglaterra, a manutenção dos diálogos entre portugueses e brasileiros, mesmo após a independência política do Brasil e a pretendida ruptura proveniente dela. Assim, este artigo pretende analisar pontos de contato e dissonância entre as posições dos dois autores diante do romantismo português, a partir da leitura que Azevedo faz de Mendonça, cujo pensamento crítico foi marcado por um socialismo exacerbado e pela condenação dos excessos do ultrarromantismo.

Referências

Azevedo, Álvares de. Obras completas. Organização de Alexei Bueno. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000.

Barboza, Onédia Célia de Carvalho. Byron no Brasil: traduções. São Paulo: Ática, 1975.

Bonfim, Julianna de Souza Cardoso. As recordações de Itália (1852 - 1853), de A. P. Lopes de Mendonça: uma obra política — Edição e estudo crítico. Dissertação (Mestrado em Letras) — Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

Broca, José Brito. Românticos, pré-românticos, ultra-românticos: vida literária e romantismo brasileiro. São Paulo: Polis, 1979.

Camilo, Vagner. Risos entre pares: poesia e humor românticos. São Paulo: Edusp; Fapesp, 1997.

Candido, Antonio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos (1750-1880). 10. ed. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, 2006.

Candido, Antonio. Literatura comparada. In: Candido, Antonio. Recortes. São Paulo: Companhia das Letras, 1993. p. 211-215.

Cunha, Cilaine Alves. O belo e o disforme: Álvares de Azevedo e a ironia romântica. São Paulo: Edusp; Fapesp, 1998.

Cunha, Cilaine Alves. Palpites dissonantes de brasileirismo em ’Literatura e civilização em Portugal’. Literatura e autoritarismo, Santa Maria, n. 4, 2001, p. 15-26.

David, Sérgio Nazar. A. P. Lopes de Mendonça e o jornal A Revolução de Setembro. In: Neves, Lúcia Maria Bastos Pereira das et al. (Org.). Literatura, história e política em Portugal (1829-1856). Rio de Janeiro: Eduerj, 2007. p. 189-194.

David, Sérgio Nazar. Paixão e revolução na obra de A. P. Lopes de Mendonça. In: Souza, Roberto Acizelo de; Holanda, Silvio Augusto de Oliveira; Augusti, Valéria (Org.). Narrativa e recepção: séculos XIX e XX. Rio de Janeiro: De Letras; Niterói: EdUFF, 2009. p. 159-186.

Faria, Maria Alice de Oliveira. Astarte e a espiral: um confronto entre Álvares de Azevedo e Alfred de Musset. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura, 1973.

Ginzburg, Jaime. História e melancolia em Literatura e civilização em Portugal. Estudos Portugueses e Africanos, Campinas, n. 33/34, p. 21-27, jan./dez. 1999.

Mendonça, António Pedro Lopes de. Ensaios de critica e litteratura. Lisboa: Typ. da Revolução de Septembro, 1849.

Mendonça, António Pedro Lopes de. Memorias de litteratura contemporanea. Lisboa: Typ. do Panorama, 1855.

Moreira, Maria Eunice. Três românticos brasileiros e a crítica portuguesa no século XIX. Miscelânea, Assis, v. 14, p. 69-79, jul./dez. 2013. Disponível em: https://goo.gl/mxUHoA. Acesso em: 27 fev. 2017.

Paz, Octavio. Os filhos do barro: do romantismo à vanguarda. Tradução de Ari Roitman e Paulina Wacht. São Paulo: Cosac Naify; Fondo de Cultura Económica, 2013.

Pires, Maria da Natividade; REIS, Carlos. História crítica da literatura portuguesa: o romantismo. Lisboa: Verbo, 1993. v. 5.

Prata, Manuel Alberto Carvalho (Org.). A imprensa estudantil em Coimbra. v. I: Repertório Analítico (século XIX). Coimbra: Imprensa da Universidade, 2006.

Sá, Victor de. A primeira imprensa socialista em Portugal. In: Sá, Victor de. Perspectivas do século XIX : ensaios. Lisboa: Portugália, 1964. p. 69-196.

Santos, Natália Gonçalves de Souza. Um leitor inconformado: Álvares de Azevedo e o periodismo do século XIX. Tese (Doutorado em Letras — Teoria Literária e Literatura Comparada) — Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

Publicado
2019-05-08
Como Citar
SANTOS, N. G. DE S. A literatura romântica portuguesa sob o olhar de Álvares de Azevedo e Lopes de Mendonça: diálogos críticos. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 29, p. 40-52, 8 maio 2019.
Seção
Artigos