A ressignificação da corporeidade da mulher negra em Becos da memória, de Conceição Evaristo
Imagem da capa: Mural de Ruben Zacarias no Parque Nacional de Gorongosa - Moçambique, 2020.
PDF

Palavras-chave

identidade
Conceição Evaristo
Becos da memória
branqueamento
diáspora
corporeidade negra

Como Citar

MOONEY, A. R. A ressignificação da corporeidade da mulher negra em Becos da memória, de Conceição Evaristo. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, [S. l.], n. 33, p. 31–47, 2021. DOI: 10.24261/2183-816x0333. Disponível em: https://revistaveredas.org/index.php/ver/article/view/611. Acesso em: 25 abr. 2024.

Resumo

Este artigo investiga a reescritura da corporeidade da mulher negra no romance Becos da memória, de Conceição Evaristo, publicado em 2006. Intenciona-se analisar a forma como o corpo e seus símbolos são representados no romance e como essas construções desestabilizam juízos morais e estereótipos que ancoram o corpo da mulher negra a um passado escravizado, criando novas territorialidades onde a subjetividade da mulher negra é visibilizada e valorizada.

 

 

https://doi.org/10.24261/2183-816x0333
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Angela Rodriguez Mooney