Letramento ficcional e letramento literário: reflexões sobre usos de textos ficcionais a partir dos estudos de letramento

  • Mirian Hisae Yaegashi Zappone Universidade Estadual de Maringá
  • Stéfanny Barranco do Nascimento
Palavras-chave: letramento, textos ficcionais, escola

Resumo

A contemporaneidade abre espaço para a prática de variados eventos de letramento. Esses espaços estão repletos de mídias que permitem conexão ininterrupta, potencializando uma comunicação mais fluida e híbrida. Nesse sentido, as relações com o livro e com a literatura acabam sofrendo modificações. Sabe-se que a cultura de massa influencia a formação do gosto dos leitores, e que a escola tem um papel importante nessa formação. Tendo em vista essa pluralidade nos processos de produção e recepção de textos ficcionais, partindo da perspectiva dos Novos Estudos de Letramento, esse artigo tem objetivo de realizar uma revisão teórica sobre letramento e, a partir dela, propor o conceito de “letramento ficcional” e de refinar o conceito de “letramento literário”. Para tanto, retomamos os conceitos de letramento, de “letramento literário” e os associamos a reflexões sobre o modo como a escola lida com textos ficcionais, particularmente, sobre o modo de ler ideal de leitura do texto literário proposto pelas diretrizes governamentais e sobre o modo como os textos ficcionais são utilizados na vida social.

Referências

Aguiar, Flávio. As questões da crítica literária. In: Martins, Maria Helena et al. Outras leituras: literatura, televisão, jornalismo de arte e cultura, linguagens interagentes. São Paulo: Itaú Cultural, 2000. p. 19-36.

Aranha, Gláucio. Narratologia e jogos eletrônicos. In: Oswald, Maria Luiza M. Bastos; Pereira, Rita Maria Ribes (orgs). Infância e juventude: narrativas contemporâneas. Petrópolis: DP; Rio de Janeiro: Faperfj, 2008. p. 31-47.

Barton, David; Hamilton, Mary; Ivanic, Roz (orgs.). Situated literacies: reading and writing in context. Londres e Nova York: Routledge, 2000.

Barton, David; Hamilton, Mary; Ivanic, Roz (orgs.). La literacidad entendida como práctica social. In: Zavala, Virgínia; Niño-Murcia; Mercedes; Ames, Patricia (orgs.). Escritura y sociedade: nuevas perspectivas teóricas y etnográficas. Lima/Peru: Rede para el Desarrollo de las Ciencias Sociales em el Peru, 2004.

Brasil. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

Brasil. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

Brasil. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares nacionais para o ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, 2006.

Cosson, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2006.

Dalla Vechia, Adriana; Petermann, Rafael. Campanhas Nacionais de incentivo à leitura no Brasil: uma análise sob o olhar dos novos estudos do letramento. In: Encontro Sul Letras, 3, out. 2014. Santa Cruz, Paraná. Anais... Santa Cruz, Paraná: Sulletras/Unicentro, 2014, p. 613-626. Disponível em: https://anais.unicentro.br/sulletras/pdf/iiiv1n1/completos/iii_sulletras_unicentro.pdf. Acesso em: 19 mar. 2015.

De Certeau, Michel. Ler: uma operação de caça. In: De Certeau, Michel. A invenção do cotidiano: artes de fazer. São Paulo: Vozes, 2003. p. 259-270.

Gee, James. Paul. Social linguistics and literacies: ideology in discourses. Londres: The Falmer Press, 1990.

Hansen, João Adolfo. Reorientações no campo da leitura literária. In: Abreu, Marcia; Schapochnik, Nelson (orgs.). Cultura letrada no Brasil: objetos e práticas. Campinas: Mercado de Letras, 2005.

Jenkins, Henry. Em busca do unicórnio de origami: Matrix e a narrativa transmídia. In: Jenkins, Henry. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2009. p.135-186.

Jung, Neiva. Maria. Identidades sociais na escola: gênero, etnicidade, língua e as práticas de letramento em uma comunidade rural multilíngue. 2003. Tese (Doutorado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/115757. Acesso em: 19 mar. 2012.

Kato, Mary. No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística. São Paulo: Ática, 1986.

Kleiman, Angela. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: Kleiman, Angela (org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995.

Lemke, Jay L. Letramento metamidiático: transformando significados e mídias. Trabalhos em linguística aplicada, Campinas, v. 49, n. 2, p. 455-479, jul/dez. 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-18132010000200009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 19 mar. 2012.

Oliveira, Gabriela Rodella. Sobre as práticas de leitura literária de alunos do ensino médio. Anais da SIELP, Uberlândia, v. 1, n. 1. p. 358-367, 2011. [on-line]. Disponível em: http://www.ileel.ufu.br/anaisdosielp/wp-content/uploads/2014/06/volume_1_artigo_040.pdf. Acesso em: 19 mar. 2012.

Paulino, Maria das Graças Rodrigues. Algumas especificidades da leitura literária. In: Paiva, Aparecida et al. Leituras literárias: discursos transitivos. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. p. 56-68.

Rangel, Egon de Oliveira. Letramento literário e livro didático de língua portuguesa: os amores difíceis. In: Paiva, Angela et al. Literatura e letramento: espaço, suportes e interfaces. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. p. 127-146.

Rojo, Roxane. Letramento (s) – práticas de letramento em diferentes contextos. In: Rojo, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009. p. 95-129.

Soares, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

Street, Brian V. Literacy in theory and practice. Cambridge: Cambridge University Press, 1984.

Street, B. Literacy in theory and practice. Austrália: University of Cambridge, 1999.

Street, Brian V. Literacy and Development: ethnographic perspectives (org.). London: Routledge, 2001.

Street, Brian V. What’s ”new”in New Literacy Studies? Critical approaches to literacy in theory and practice. Current Issues in Comparative Education, Teachers College, Columbia University, Vol. 5(2), 2003a.

Street, Brian V. Abordagens alternativas ao letramento e desenvolvimento. Teleconferência Unesco Brasil sobre Letramento e Diversidade. out. 2003b.

Street, Brian V. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. São Paulo: Parábola, 2014.

Tfouni, Leda Verdiani. Adultos não alfabetizados: o avesso do avesso. Campinas: Pontes, 1988.

Tfouni, Leda Verdiani. Letramento e alfabetização. São Paulo: Cortez, 1995.

Zappone, Mirian Hisae Yaegashi. Modelos de letramento literário e ensino da literatura: problemas e perspectivas. Teoria e Prática da Educação, v. 11, n. 1, p.49-60, jan./abr. 2008. Disponível em: https://social.stoa.usp.br/articles/0037/3065/ Modelos_de_Letramento_Liter_rio.pdf. Acesso em: 19 mar. 2012.

Zilberman, Regina. Letramento literário: não ao texto sim ao livro. leituras. In: Paiva, Angela et al. Literatura e letramento: espaço, suportes e interfaces. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. p. 245-266.

Publicado
2021-03-01
Como Citar
ZAPPONE, M. H.; NASCIMENTO, S. Letramento ficcional e letramento literário: reflexões sobre usos de textos ficcionais a partir dos estudos de letramento. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 32, p. 165-188, 1 mar. 2021.