Inferências adultas no universo infantil das histórias em quadrinhos da Turma da Mônica: a leitura em Piteco — Ingá

  • José Arlei Cardoso Universidade de Santa Cruz do Sul
Palavras-chave: quadrinhos, leitura, inferência

Resumo

Por muito tempo considerado uma forma de entretenimento infantil, as histórias em quadrinhos têm ocupado um grande espaço nas discussões sobre o aprendizado da leitura, devido principalmente a sua estrutura narrativa imagética-textual e a sua grande popularização mercadológica. Como contraponto, também se desenvolveu um conceito de narrativa adulta, tendo despertado interesse acadêmico por apresentar uma linguagem híbrida, com capacidade de integração e convergência com outras áreas, como a literatura. Este estudo busca analisar algumas fronteiras inferenciais entre os quadrinhos classificados como infantis e adultos, usando como referência o romance gráfico Piteco — Ingá, obra que faz uma releitura do universo infantil da Turma da Mônica e conceitos de autores como Eisner, McCloud, Dell’Isola e Marcuschi.

Referências

Adorno, Theodor W.; Horkheimer, Max. Dialética do Esclarecimento. Rio de janeiro: Jorge Zahar Editor, 1985.

Beyruth, Danilo. Astronauta — magnetar. São Paulo: Maurício de Souza Editora; Panini Comics, 2013.

Cafaggi, Vitor; Cafaggi, Lu. Turma Da Mônica — Laços. São Paulo: Maurício de Souza Editora; Panini Comics, 2013.

Cagnin, Antônio Luiz. Os quadrinhos: linguagem e semiótica. São Paulo: Criativo, 2015.

Cirne, Moacy. Quadrinhos, sedução e paixão. Petrópolis: Vozes, 2000.

Dell’isola, Regina Lúcia Péret. Leitura: inferências e contexto sociocultural. Belo Horizonte: Ed. Formato, 2001.

Dijk, Teun A. Van. Discurso e contexto. São Paulo: Ed. Contexto, 2012.

Dorfman, Ariel; Jofré, Manuel. Super-Homem e seus amigos do peito. São Paulo: Ed. Paz e Terra, 1978.

Dorfman, Ariel; Mattelart, Armand. Para ler o Pato Donald: comunicação de massa e colonialismo. São Paulo: Ed. Paz e Terra, 1980.

Duarte, Gustavo. Chico Bento — pavor espaciar. São Paulo: Maurício de Souza Editora; Panini Comics, 2013.

Eco, Umberto. Apocalípticos e integrados. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1993.

Hunt, Peter. Crítica, teoria e literatura infantil. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

Koch, Ingedore Grunfeld Villaça; Travaglia, Luiz Carlos. Texto e coerência. São Paulo: Cortes Editora, 1989.

Koch, Ingedore Grunfeld Villaça. Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortes Editora, 2005.

Luyten, Sonia M. Bibe (Org). Histórias em quadrinhos — leitura crítica. São Paulo: Paulinas, 1985a.

Luyten, Sonia M. Bibe. O que é história em quadrinhos. São Paulo: Brasiliense, 1985b.

Moya, Álvaro de. História da história em quadrinhos. São Paulo: Brasiliense, 1993.

Rama, Angela; Vergueiro, Waldomiro (org). Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2004.

Sant’anna, Affonso Romano de. Paródia, paráfrase & cia. São Paulo: Ed. Ática, 1985.

Shiko. Piteco — Ingá. São Paulo: Maurício de Souza Editora; Panini Comics, 2013.

Vieira, Marcos Fábio. Mito e herói na contemporaneidade: as histórias em quadrinhos como instrumento de crítica social. Contemporânea, Rio de Janeiro, 2007.

Zilberman, Regina. A literatura infantil e o leitor. São Paulo: Ática, 1987.

Publicado
2020-05-05
Como Citar
CARDOSO, J. Inferências adultas no universo infantil das histórias em quadrinhos da Turma da Mônica: a leitura em Piteco — Ingá. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 31, p. 25-41, 5 maio 2020.