Leitura e literatura nas redes: seis casos sobre criar, existir e resistir

  • Ana Elisa Ribeiro
Palavras-chave: literatura, gênero, redes sociais, escritoras

Resumo

Neste trabalho, partimos das noções de redes sociais e de conversações em rede, com Manuel Castells e Raquel Recuero, para mostrar seis casos de projetos ou de ocorrências relacionadas à potência das conversações na web, em especial no campo da literatura contemporânea. Quatro desses casos relacionam-se a escritoras que se apropriam dos meios digitais para criar, existir e resistir, alcançando relativo sucesso em seus objetivos de combater a invisibilização e o apagamento de vozes e autorias femininas. As três categorias (criar, existir e resistir) são aqui empregadas como pilares da leitura sobre as ações desses seis casos recentes, quais sejam: “Mulheres Emergentes”, site da escritora e editora mineira Tânia Diniz; “Mulherio das Letras”, coletivo de escritoras de todo o país pelo Facebook; “Leia Mulheres”, ação multinacional voltada à leitura de livros escritos por mulheres; “Bondelê”, canal da escritora e editora Mariana Mendes no YouTube, cujo objetivo é resenhar e entrevistar escritoras contemporâneas; além dos eventos reativos ocorridos em relação às peças de divulgação de um prêmio literário mineiro e de um evento literário do Instituto Moreira Salles (RJ). Em todos os casos, é possível observar como as conversações potenciadas pelas redes digitais são capazes de desarticular ou, no mínimo, incomodar o que esteve posto, dentro e fora do computador.

Referências

Carbonieri, Divanize. Carta aberta do II encontro do Mulherio das Letras 2018. In: Carbonieri et al. Ruído manifesto. Página inicial. 8 mar. 2019. Disponível em: http://ruidomanifesto.org/carta-aberta-do-ii-encontro-nacional-do-mulherio-das-letras-2018/. Acesso em: 2 set. 2019.

Castells, Manuel. A sociedade em rede. Tradução de Roneide Venancio Majer e Klauss Brandini Gerhardt. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

Cosson, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2009.

Diniz. Tânia. Mulheres Emergentes: os murais. 2007. Disponível em: http://www.mulheresemergentes.com/p/murais-me.html. Acesso em: 29 nov. 2019.

Encontro de poetas, sem negros convidados, é cancelado após revolta nas redes sociais. O Globo. Rio de Janeiro, 23 abr. 2019. Disponível em: https://oglobo.globo.com/cultura/livros/encontro-de-poetas-sem-negros-convidados-cancelado-apos-revolta-nas-redes-sociais-23616913. Acesso em: 2 set. 2019.

Ferreira, Maria. 18 poetas brasileiros que a curadoria de literatura do Instituto Moreira Salles deveria conhecer. In: Impressões de Maria. [blog]. 28 abr. 2019. Disponível em: https://www.impressoesdemaria.com.br/2019/04/18-poetas-brasileiros-que-curadoria-de.html. Acesso em: 2 set. 2019.

Freire, Paulo. A importância do ato de ler. São Paulo: Cortez, 1982.

Freire, Paulo; Macedo, Donaldo. Alfabetização: leitura do mundo, leitura da palavra. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

Gomes, Juliana; Leuenroth, Juliana; Rodrigues, Michelle. Leia Mulheres Brasil. Página inicial. c2019. Disponível em: https://leiamulheres.com.br/. Acesso em: 2 set. 2019.

Lajolo, Marisa. Do mundo da leitura para a leitura do mundo. São Paulo: Ática, 1993.

Mendes, Mariana Diniz. Bem vinda (o) ao Bondelê! – apresentação. Bondelê. YouTube. 16 jan. 2017. (2min.). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=IKhenzLqt-o. Acesso em: 2 set. 2019.

Mulherio Das Letras, 2017. Página inicial. Facebook. Disponível em: https://www.facebook.com/mulheriodasletras/. Acesso em: 2 set. 2019.

Musso, Pierre. A filosofia da rede. In: Parente, André (org.). Tramas da rede: novas dimensões filosóficas, estéticas e políticas da comunicação. Porto Alegre: Sulina, 2010.

Prefeitura Municipal Borda da Mata. Secretaria de Cultura abre inscrições para o Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura 2017. 6 set. 2017. Disponível em: http://www.bordadamata.mg.gov.br/index.php/noticia/item/757-premio-governodeminas-2017. Acesso em: 2 set. 2019.

Recuero, Raquel. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

Recuero, Raquel. A conversação em rede: comunicação mediada pelo computador e redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2012.

Ribeiro, Ana Elisa. Mulheres na edição: o caso de Tânia Diniz e o mural Mulheres Emergentes. Cuadernos del Centro de Estudios de Diseño y Comunicación, 107, 2020. Disponível em: https://pub.palermo.edu/ojs/index.php/cdc/article/view/4203. Acesso em: 15 dez. 2020.

Sapiro, Gisèle. La sociología de la literatura. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2016.

Publicado
2021-03-01
Como Citar
RIBEIRO, A. E. Leitura e literatura nas redes: seis casos sobre criar, existir e resistir. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 32, p. 97-111, 1 mar. 2021.