"Faço tábula da fábula rasa". Decolonial rewriting of Brazil in Paulo Leminski's Catatau
Capa Veredas 36
PDF (English)

Como Citar

SCHULZE, P. "Faço tábula da fábula rasa". Decolonial rewriting of Brazil in Paulo Leminski’s Catatau. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, [S. l.], n. 36, p. 8–25, 2022. DOI: 10.24261/2183-816x0136. Disponível em: https://revistaveredas.org/index.php/ver/article/view/808. Acesso em: 25 abr. 2024.

Resumo

Uma forma particular de metaficção historiográfica sobre a colonização holandesa do Brasil, o "romance-ideia" Catatau (1975) de Paulo Leminski parece menos preocupado com a história factual do que com as dimensões epistêmicas do discurso colonial sobre o Brasil. Na leitura aqui proposta, o romance de Leminski é entendido como um "instrumento de pensamento" (V. DAS) decolonial baseado em uma estética performativa. As estratégias textuais de Catatau transformam o protagonista, um Descartes ficcionalizado, em uma câmara de ecos na qual os racionalismos coloniais são negados por apropriações de certos pré-textos e gêneros e uma prolífera linguagem de diferença, resultando em uma "des-interpretação" do Brasil como forma de "des-pensar" a colonialidade.

https://doi.org/10.24261/2183-816x0136
PDF (English)
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Peter Schulze