Finisterra e os modos de povoar (ou perspectivar) uma paisagem
Capa Veredas 36
PDF

Palavras-chave

Finisterra
Carlos de Oliveira
perspectiva
estudos narrativos

Como Citar

SEEGER, G. Finisterra e os modos de povoar (ou perspectivar) uma paisagem. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, [S. l.], n. 36, p. 63–80, 2022. DOI: 10.24261/2183-816x0536. Disponível em: https://revistaveredas.org/index.php/ver/article/view/813. Acesso em: 23 fev. 2024.

Resumo

Neste artigo, analisamos o complexo agenciamento discursivo da categoria perspectiva narrativa em Finisterra, de Carlos de Oliveira. Com base em pressupostos dos estudos narrativos contemporâneos, defendemos que emana desse agenciamento a configuração de todos os demais elementos estruturantes da narrativa. Por meio dele, além disso, o leitor se torna partícipe do jogo do texto, assumindo papel análogo ao das personagens, do narrador e do próprio autor recriado pelo texto.

https://doi.org/10.24261/2183-816x0536
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Gisele Seeger