A violência das pequenas mortezinhas em produções literárias lusófonas contemporâneas
Capa Veredas 37
PDF

Palavras-chave

violência psicológica
literatura lusófona contemporânea
autoria feminina

Como Citar

GUIDA, A.; MACHADO, D. A. A violência das pequenas mortezinhas em produções literárias lusófonas contemporâneas. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, [S. l.], n. 37, p. 117–132, 2022. DOI: 10.24261/2183-816x0837. Disponível em: https://revistaveredas.org/index.php/ver/article/view/837. Acesso em: 23 fev. 2024.

Resumo

Buscamos engendrar uma reflexão acerca da violência psicológica, pensando nesse tipo de violência como um dispositivo que produz pequenas mortezinhas que vão se dando ao longo da existência de muitas mulheres. Nossa proposta é investigar como essas mortezinhas se manifestam em produções literárias contemporâneas lusófonas e, para isso, elegemos três obras: A gorda, de Isabela Figueiredo, Esse cabelo, de Djaimilia Pereira de Almeida e A vida invisível de Eurídice Gusmão, de Martha Batalha.

https://doi.org/10.24261/2183-816x0837
PDF

Referências

ALMEIDA, Djaimilia Pereira de. Esse cabelo. Portugal: Teorema, 2015.

ALMEIDA, Djaimilia Pereira de. Suplemento Pernambuco, 2016. Disponível em: <https://www.suplementopernambuco.com.br/entrevistas/1694-entrevista-djaimilia-pereira-de-almeida.html>. Acesso em: 01 abr. 2022.

ARENDT, Hannah. Liberdade para ser livre. Trad. de Pedro Duarte. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2018b.

BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. Rio de Janeiro: José Olympio, 1970.

BATALHA, Martha. A vida invisível de Eurídice Gusmão. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. A experiência vivida. Tradução de Sérgio Milliet. São Paulo: Difel, 1967.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Tradução de Maria Helena Kühner. 16. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2019.

BRASIL. Lei nº 11.340, de 07 de agosto de 2006 (Lei Maria da Penha). Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm. Acesso em 06/03/12.> Acesso em: 10 abr 2022.

CESAR, Ana Cristina. Poética. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

COUTO, Mia. Cronicando. Lisboa: Editora Caminho, 1991.

ESPANCA, Florbela. Antologia poética de Florbela Espanca. São Paulo: Martin Claret, 2015.

FIGUEIREDO, Isabela. A gorda. Lisboa: Caminho, 2017.

FIGUEIREDO, Isabela. "Minha gordura não me define", Revista Trip, 2018. Disponível em: <https://revistatrip.uol.com.br/tpm/a-mocambicana-isabela-figueiredo-autora-do-livro-a-gorda-e-convidada-da-flip-2018>. Acesso em: 10 abr 2022.

FOUCAULT, Michel. A microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1977.

HAN, Byung - Chul. Topologia da violência. Petrópolis/RJ: Editora Vozes, 2017.

LISPECTOR, Clarice. A hora da estrela. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1995.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Tradução de Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

MELLO e SOUZA, Gilda. "O vertiginoso relance". In: Exercícios de leitura. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2009.

PENHA Instituto Maria da. "Tipos de violência". Disponível em: <https://www.institutomariadapenha.org.br/lei-11340/tipos-de-violencia.html>. Acesso em: 10 abr 2022.

SARAMAGO, José. O autor como narrador. In: Revista Cult, São Paulo, 1998.

ZANELLO, Valeska. Saúde mental e gênero: o adoecimento psíquico e as violências invisibilizadas, p. 12-14, 2016. Disponível em: <https://saudementalegenero.files.wordpress.com/2016/02/jornal-cfp.pdf>. Acesso em: 10 abr 2022.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Angela Guida, Daniel Almeida Machado