Análise de uma amostra de nomes próprios portugueses em Timor-Leste: Antroponímia, Património Linguístico e variação linguística
Colagem analógica de Gisele Gemmi Chiari
pdf

Palavras-chave

Antroponímia portuguesa e timorense
Língua portuguesa
Património Linguístico
Análise linguística
Variação linguística

Como Citar

REBELO, H. Análise de uma amostra de nomes próprios portugueses em Timor-Leste: Antroponímia, Património Linguístico e variação linguística. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, [S. l.], v. 40, p. 10–25, 2023. DOI: 10.24261/2183-816x0140. Disponível em: https://revistaveredas.org/index.php/ver/article/view/922. Acesso em: 25 abr. 2024.

Resumo

Em Timor-Leste, no século XXI, os antropónimos – bens linguísticos patrimoniais que passam de geração em geração – revelam a presença da língua portuguesa, usada no território ao longo de séculos, e a sua previsível permanência nas gerações vindouras. É um Património Linguístico do Português no Sudeste asiático, no Oceano Pacífico. Visando a descrição linguística, analisa-se qualitativa e quantitativamente uma amostra deste Património Linguístico português, através de uma listagem de 40 nomes – compostos por justaposição com uma centena de elementos – de estudantes de uma turma de um Curso de Português em SDK Canossiana Balide, no início da Independência. Como se apresentam os nomes dos jovens timorenses? Que variação linguística se regista nos antropónimos portugueses e, simultaneamente, timorenses herdados ao longo de séculos? Pelos dados analisados e descritos, acredita-se que os nomes das pessoas, contrariamente aos topónimos timorenses, são uma marca resistente da influência da língua e da cultura portuguesas que persistirá. Perdurará, se, nas famílias, as crianças continuarem a receber nomes de influência portuguesa, valorizando a comunidade timorense, em especial nos centros urbanos, o seu passado linguístico-cultural e a sua história.

https://doi.org/10.24261/2183-816x0140
pdf

Referências

BASTOS, Miguel Faria de. Timor, o maior campo de extermínio do mundo. Lisboa: Associação Portuguesa de Esperanto, 1998.

BELO, Dom Filipe Ximenes. Os antigos reinos de Timor-Leste (Reys de Lorosay e Reys de Lorothoba, Coroneis e Datos). Baucau: Edição Tipografia Diocesana Baucau, 2011.

BOLÉO, Manuel de Paiva. Onomástica. In: VERBO: Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura. Lisboa: Editorial Verbo, 1973. v. 14.

BOLÉO, Manuel de Paiva. Toponímia. In: CHORÃO João Bigote. Enciclopédia Verbo Luso-Brasileira de Cultura. Lisboa; São Paulo: Verbo Editora, 1975. v. 17.

BOULLÓN AGRELO, Ana Isabel; SOUSA FERNANDÉZ, Xulio. (dir.). Cartografía dos apelidos de Galicia. Santiago de Compostela: Instituto de Língua Galega, 2023.

BRAGA, Paulo. País de sonho e encantamento: Timor 1930. Díli: Crocodilo Azul, 2006.

BRITO, Regina. Espaço geopolítico lusófono: vidas em Português. Comunicação e Sociedade, Braga, v. 34, p.119-131, 2018.

CAETANO, Carlos Manuel Ferreira. A toponímia, património imaterial das comunidades urbanas e sua ideologização. In: FERNANDES, Gonçalo Poeta; SEQUEIRA, Helder. Desafios e constrangimentos do estudo da toponímia, intervenções e contributos. Guarda: Instituto Politécnico da Guarda, 2015. p. 7-53.

CAVALCANTE, Márcia V.; CUNHA, Maria da. Histórias da minha origem: ai-knanoik hosi ha’u hun. Díli: Programa de Pós-graduação e Pesquisa da UNTL, 2018.

CHAVES, Luís. Influências religiosas na formação da Antroponímia e da Toponímia em Portugal. O archeólogo português, Lisboa, v. 3, p. 177-209, 1956.

CHORÃO João Bigote. Enciclopédia Verbo Luso-Brasileira de Cultura. Lisboa; São Paulo: Verbo Editora, 1975. v. 17.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. Resolução n. 1272, de 25 Outubro de 1999. Responsabilidade da Administração de Timor Leste e Mandatada para exercer toda autoridade executiva e legislativa, incluindo a administração da Justiça. Diário da República, Timor-Leste, 25 Out. 1999.

CORRÊA, Armando Pinto. Gentio de Timôr. 2. ed. Câmara de Lobos: Câmara Municipal de Câmara de Lobos, 2009.

CORTE-REAL, Benjamin de Araújo; BRITO, Regina H. P. Aspectos da política linguística de Timor-Leste: desvendando contra-corrente. In: MARTINS, Moisés L.; SOUSA, Helena; CABECINHAS, Rosa. Actas Comunicação e Lusofonia. Porto: Campo das Letras, 2007. p. 123-132.

COSTA, Luís. Dicionário de tétum-português. Lisboa: Edições Colibri, 2007.

DIAS, Mário Simões. Timor e as suas lendas. Coimbra: Ed. de autor, 2000.

FAIGUENBOIM, Guilherme, VALADARES, Paulo; CAMPAGNANO, Anna Rosa. Dicionário sefaradi de sobrenomes. São Paulo: Fraiha, 2003.

FARIA, António Machado de. O uso dos apelidos em Portugal. Brotéria, Lisboa, v. 52, n. 2, p. 11-12, 1951.

FRANCO BARROS, Mario. Pseudónimos ou nomes reais? breve análise linguística de nicknames de utilizadores espanhóis nos média sociais e comparação com nicknames de utilizadores alemães e portugueses. In: CONGRESSO DA SOPCOM: COMUNICAÇÃO, TURISMO E CULTURA, 20., 2020, Madeira. Atas [...]. Funchal: SOPCOM, Universidade de Madeira, 2020. p. 126-143.

GAMEIRO, Aires. 40 Dias em Timor-Leste: uma interpretação: observações, percepções e análise de lusofonia emergentes. Lisboa: Pearlbooks, 2012.

GOMES, Nuno da Silva. A literatura popular de tradição oral, em Timor-Leste. Díli: Baucau, 2008.

GONÇALVES, Iria Amostra de antroponímia alentejana do século XV. Do Tempo e da História, Lisboa, v. 4, p. 173-212, 1971.

GONÇALVES, João Luís Rodrigues. Gente de Timor-Leste. Madeira: Arguim, 2002.

GUSMÃO, Xanana. Timor Leste: um povo uma pátria. Lisboa: Edições Colibri, 2002.

HULL, Geoffrey. Timor-Leste: identidade, língua e política educacional. Lisboa: Ministério dos Negócios Estrangeiros, Instituto Camões, 2001.

INSTITUTO CAMÕES. Resistência timorense, arquivo e museu. Baucau: Gráfica Diocesana, 2002.

MACHADO, José Pedro. Dicionário onomástico etimológico da língua portuguesa. Lisboa: Editorial Confluência, 1993, 1984.

MARCOS, Artur. Timor Timorense: com suas línguas, literaturas, lusofonia. Lisboa: Colibri, 1995.

MARTINS, José Alves; FELGUEIRAS, João.. Nossas memórias de vida em Timor. Braga: Editorial A.O., 2007.

MATTOSO, José. A dignidade, Konis Santana e a resistência Timorense. Lisboa: Temas e Debates, 2005.

MENDES, Nuno Canas. A construção do nacionalismo timorense. In: GUEDES, Armando Marques; MENDES, Nuno Canas (ed.). Ensaios sobre nacionalismos em Timor-Leste. Lisboa: IDI-MNE Biblioteca Diplomática do MNE, 2005. p. 105-240 (Série A).

MENEZES, Francisco Xavier. Encontro de Culturas em Timor-Leste. Díli: Crocodilo Azul, 2006.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo. Os nomes de família em Portugal: perspectiva histórica. Etnográfica, Lisboa, v. 12, n. 1, p. 45-58, 2008.

PAOLINELLI, Luíza; BAZENGA, Aline. Usos de Maria em Portugal: práticas de nomeação e construção de identidade. In: CONGRÉS INTERNACIONAL DE LINGÜÍSTICA I FILOLOGIA ROMÀNIQUES, 26., 2010, Valencia. Actes [...]. Valencia: CILFR 2010.

PAULINO, Vicente. Representação identitárias em Timor-Leste: culturas e os media. Porto: Edições Afrontamento, 2019.

PAULINO, Vicente; APOEMA, Keu (org.). Tradições orais de Timor-Leste. Díli: Casa Apoema, 2016.

PINTO, Paulo Feytor. Purificação onomástica e mudança social em Portugal. In SEMINÁRIO POLÍTICA DE LÍNGUA, PLANEAMENTO LINGUÍSTICO E MUDANÇA SOCIAL, HOMENAGEMA ROBERT L. COOPER, 2013, Lisboa. Webnario [...]. Liboa: Universidade Aberta, 2013.

RAMOS-HORTA, José. Diário nº 8049 do Público. 22 abr. 2012.

RATO, Maria Moreira. Toponímia: democratizar os nomes das ruas ou ‘apagar’ a História? SOL, Lisboa, 29 ju. 2022. Disponível em: https://sol.sapo.pt/artigo/774895/toponimia-democratizar-os-nomes-das-ruas-ou-apagar-a-historia-. Acesso em: 2023.

REBELO, Helena. Exemplos para a história da ortografia no Funchal: da paisagem linguística ao património linguístico com a toponímia. Arquivo Histórico da Madeira, Nova Série, Funchal, n. 4, p. 501-556, 2022.

REBELO, Helena. Pecegueiro. Funchal Notícias, Funchal, 25 jan. 2023. Disponível em: https://funchalnoticias.net/2023/01/25/pecegueiro/#. Acesso em: 2023.

REBELO, Helena. Uma leitura do livro 40 Dias em Timor-Leste: uma interpretação. observações, perceções e análise de lusofonia emergente” de Aires Gameiro. Revista Islenha, Funchal, n. 51, p. 150-160, Jul./dez. 2012.

ROCHA, Rui Passos. De Cunhal a Salazar: há ideologia nos nomes das ruas de Portugal (e muito mais). Observador, Lisboa, 21 abr. 2018. Disponivel em: https://observador.pt/especiais/de-cunhal-a-salazar-ha-ideologia-nos-nomes-das-ruas-de-portugal-e-muito-mais/. Acesso em: 2022.

ROWLAND, Robert. Práticas de nomeação em Portugal durante a época moderna: ensaio de aproximação. Etnográfica, Lisboa, v. 12, n. 1, p. 17-43, 2008. Doi: https://doi.org/10.4000/etnografica.1590

SÁ, Artur Basílio de. Timor. Lisboa: Sociedade de Geografia, 1952.

SANTOS, José Rodrigues dos. A Ilha das Trevas. Lisboa: Gradiva, 2007.

SILVA, José Pereora da. Os Sobrenomes na Antroponímia e na Genealogia. Revista Philologus, Rio de Janeiro, ano 25, n. 75, p. 2516-2537, 2019.

SOUSA, Manuel de As Origens dos apelidos das famílias portuguesas. Mem-Martins: Sporpress, 2001.

THOMAZ, Luís Filipe. Babel Lorosae: o problema linguístico de Timor-Leste. Lisboa: Cadernos Camões, 2002.

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA; INSTITUT DE RECHERECHE SUR L'ASIE DU SUD-EST CONTEMPORAINE; GRUPO DE ESTUDOS DE RECONSTRUÇÂO DE TIMOR LESTE; COMISSÁRIO PARA O APOIO Á TRANSIÇÂO EM TIMOR LESTE. Atlas de Timor-Leste. Lisboa: Lidel, 2002.

VASCONCELOS, José Leite de. Antroponimia portuguesa: tratado comparativo da origem, significação, classificação, e vida do conjunto dos nomes próprios, sobrenomes, e apelidos, usados por nós desde a Idade-Média até Hoje. Lisboa: Arquimedes Livros. 1928.

VILLALVA, Aline, MARQUILHAS, Rita; CORREIA, Clara Nunes; ALBINO, Cristina. Dicionário Etimológico dos Nomes de Ocupação em Português. 2002. https://www.academia.edu/3137410/Dicion%C3%A1rio_Etimol%C3%B3gico_ dos_Nomes_de_Ocupa%C3%A7%C3%A3o_em_Portugu%C3%Aas. Acesso em: 2022

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Helena Rebelo