[1]
L. Chaves, “O sexo dos tubarões, de Naná DeLuca, ou uma escrita que faz delira”r, VAIL, nº 30, p. 178–190, ago. 2019.