[1]
I. Caputo, “Adeus, cavalo, de Nuno Ramos: quando o corpo vibra e o texto estremece um ato de leitur”a, VAIL, nº 30, p. 56–75, ago. 2019.