O fluxo da consciência em Elói, de João Gaspar Simões

  • Valda Suely da Silva Verri
Palavras-chave: Elói, fluxo da consciência, tempo psicológico, Modernismo

Resumo

Este trabalho tem como principal objetivo fazer uma leitura da obra Elói ou romance numa cabeça de João Gaspar Simões, por meio da qual se observa a influência da técnica de escrita literária modernista denominada fluxo da consciência. Auxiliados pelos estudos feitos por Robert Humphrey, podemos identificar essa técnica empregada em alguns trechos da obra e, ao final, justificar seu emprego nas passagens narrativas em que se encontram, uma vez que se prestam a expressar o tempo psicológico do protagonista.

Referências

Benjamin, Walter. A crise do romance. In: Benjamin, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7. ed. Tradução de Sérgio P. Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 54-60.
Candido, Antonio. A literatura e a formação do homem. Ciência e cultura, n. 24, p. 803-809, 1972.
Humphrey, Robert. Stream of consciousness in the modern novel. Oakland: University of California Press, 1954.
James, William. Princípios de psicologia. Tradução de Pablo Rubén Mariconda. In: James, William. Pragmatismo e outros textos. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1985. p. 118-169. (Coleção Os pensadores).
Mendilow, Adam Abraham. O tempo e o romance. Tradução de Flávio Wolf. Porto Alegre: Globo, 1972.
Meyerhoff, Hans. O tempo na literatura. Tradução de Myriam Campello. São Paulo: Mc Graw-Hill, 1976.
Mourão-Ferreira, David. Presença da “Presença”. Porto: Brasília, 1977.
Nunes, Benedito. O tempo na narrativa. São Paulo: Ática, 2000.
Silva, Vítor Manuel de Aguiar e. Teoria da literatura. 8. ed. Coimbra: Almedina, 2004.
Simões, João Gaspar. Elói ou romance numa cabeça. Mem Martins: Europa–América, 1982.
Woolf Virginia. Mrs. Dalloway. Tradução de Mário Quintana. São Paulo: Abril Cultural, 1972.
Publicado
2018-05-24
Como Citar
VERRI, V. O fluxo da consciência em Elói, de João Gaspar Simões. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 26, p. 60–78, 24 maio 2018.
Seção
Artigos