“José Matias”: o amor como incomunicabilidade em Eça de Queirós

Palavras-chave: Eça de Queirós, José Matias, incomunicabilidade, ambiguidade

Resumo

A ambiguidade levada ao extremo por Eça de Queirós gera um impasse tal em “José Matias” que este se configura como um texto exemplar sobre a incomunicabilidade. Este estudo pretende abordar as diversas formas pelas quais o protagonista é irrecuperavelmente distanciado do leitor, encerrando-se na sua circularidade secreta. Para isso analisaremos como a narrativa lida com termos antagônicos como corpo e espírito, feminino e masculino, discurso amoroso e racional — sempre conferindo-lhes dubiedade.

Referências

Barthes, Roland. Fragmentos de um discurso amoroso. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1997.

Bertolucci, Bernardo. Ultimo tango a Parigi. França: Produzioni Europee Associati, 1972.

Lima, Isabel Pires de. A fadiga/a delícia das coisas (im)perfeitas: Ulisses/Fradique Mendes/José Matias. In: Estudos em homenagem ao Professor Doutor António Ferreira de Brito. Porto: Universidade do Porto, Faculdade de Letras, 2004. Disponível em: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/4383.pdf. Acesso em: 04 nov. 2016.

Mattos, A. Campos. Verbete José Matias. In: Dicionário de Eça de Queirós. Lisboa: Caminho, 1988.

Paredes Núñez, Juan. “José Matias” de Eça de Queirós: tentativa de descrição estrutural. Colóquio/Letras, nº 83, p. 34-45, jan. 1985.

Queirós, Eça de. José Matias. Contos escolhidos. São Paulo: Círculo do Livro, 1989.

Rita, Annabela. Relendo Eça: “José Matias” mais uma vez. In: III Encontro internacional de Queirosianos — 150 anos com Eça de Queirós. São Paulo: Centro de Estudos Portugueses — FFLCH/USP, 1997. p. 79-82.

Publicado
2019-08-28
Como Citar
CASTRO, A. M. “José Matias”: o amor como incomunicabilidade em Eça de Queirós. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 30, p. 161–177, 28 ago. 2019.