Ser-se estrangeiro: forjas (a)poéticas de desterritorialização

  • Lucas Augusto da Silva Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES/UC)
Palavras-chave: a-poética, desterritorialização, estrangeiro, nacionalismo

Resumo

A partir de um quadro teórico que conjuga o conceito de \textit{desterritorialização} tal qual desenvolvido por Gilles Deleuze e Félix Guattari, e da teoria a-poética de Charles Bernstein, analisa-se três movimentos de fuga à territorialidade, permeados pelos processos de colonização moderna e globalização contemporânea, debruçando-se sobre três bases literárias. Primeiro intenciona-se analisar como este processo ocorre na relegação da condição de estrangeiro aos nativos de um território na exploração colonial com enfoque no conto “A legião estrangeira” de Clarice Lispector; depois, investiga-se o movimento de globalização pela consolidação da língua inglesa como padrão comunicacional pela análise crítica de poemas de Paulo Leminski e José Brites; finalmente, a partir de uma leitura dos poemas que compõem “Mapas de Viagem” de Frederico Barbosa, conclui-se sobre os hiatos da composição de uma identidade nacional gerados pelas desigualdades e mazelas internas deflagradas no caso brasileiro.

Referências

Anderson, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

Barbosa, Frederico; Risério, Antonio. Brasibraseiro. São Paulo: Landy Editora, 2004.

Bernstein, Charles. A-poética. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, v. 47, p. 101-122, 1997.

Bosi, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

Boym, Svetlana. The future of nostalgia. New York: Basic Books, 2001.

Brites, José. Imigramar. NewArc: PAB Publications, 1981.

Deleuze, Giles; Guattari, Félix. Kafka: por uma literatura menor. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1977.

Leminski, Paulo. Toda poesia. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

Lispector, Clarice. Todos os contos. [e-book]. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2016.

Pepetela. A geração da utopia. Alfragide, LeYa, 1992.

Philip, Marlene Nourbese. Discourse on the logic of language. In: Philip, Marlene Nourbese. She tries her tongue, her silence softly breaks. Charlottetown: Ragweed Press, 1989. p. 56-59.

Ribeiro, Darcy. O povo brasileiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

Santos, Boaventura de Sousa. Descobrimentos e encobrimentos. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, v. 38, p. 5-10, 1993.

Santos, Boaventura de Sousa. Por uma concepção multicultural de direitos humanos. Coimbra: Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, v. 48, p. 11-32, 1997.

Telmo, Antonio. Arte poética. Lisboa: Guimarães Editores, 1993.

Wallerstein, Immanuel. The construction of peoplehood: racism, nationalism, ethnicity. In: Balibar, Etiene; Wallerstein, Immanuel. Race, nation, class: ambiguous identities. Nova Iorque: Verso, 1991.

Publicado
2021-05-05
Como Citar
AUGUSTO DA SILVA, L. Ser-se estrangeiro: forjas (a)poéticas de desterritorialização. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 33, p. 16-30, 5 maio 2021.
Seção
Artigos