Desconfortos ressignificados nas narrativas de Natalia Borges Polesso e Carol Bensimon

  • Virgínia Maria Vasconcelos Leal Universidade de Brasília
Palavras-chave: literatura brasileira contemporânea, lesbofobia, espaço, Natalia Borges Polesso, Carol Bensimon

Resumo

O artigo analisa as narrativas Todos nós adorávamos caubóis, de Carol Bensimon, e Amora, de Natália Borges Polesso, a partir das discussões a respeito das identidades e da lesbofobia. Fundamenta-se a discussão nas teorias de Sara Ahmed sobre os sentimentos queer e o binômio conforto/desconforto, bem como nas relações entre espaço e literatura teorizadas por Susan Stanford Friedman e Doreen Massey. O artigo pretende demonstrar como as obras ressignificam desconfortos em novas possibilidades amorosas e identitárias.

Referências

Ahmed, Sara. La política cultural de las emociones. Tradução de Cecilia Olivares Mansuy. México: Unam/Programa Universitário de Estudios de Género, 2015.

Ahmed, Sara. La promesa de la felicidade: uma crítica cultural al imperativo de la alegría. Tradução de Hugo Salas. Buenos Aires: Caja Negra, 2019.

Braidotti, Rosi. Por uma política afirmativa: itinerarios éticos. Tradução de Juan Carlos Gentile Vitale. Barcelona: Gedisa, 2018.

Borillo, Daniel. Homofobia: história e crítica de um preconceito. Tradução de Guilherme João de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

Butler, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

Bensimon, Carol. Todos nós adorávamos caubóis. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

Castro, Elena. Poesía lesbiana queer: cuerpos y sujetos inadecuados. Barcelona: Icaria Editorial, 2014.

Dalcastagnè, Regina. A personagem do romance brasileiro contemporâneo (1990-2004). Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 26, p. 13-71, 2005.

Friedman, Susan Stanford. ‘Além’ do gênero: a nova geografia da identidade e o futuro da crítica feminista. Tradução de Alcione Cunha da Silveira e Sandra Regina Goulart Almeida. In: Brandão, Izabel, Cavalcanti, Ildney, Costa, Claudia de Lima Costa; Lima, Ana Cecília Alcioli (orgs.). Traduções da Cultura: Perspectivas Críticas Feministas (1970-2010). Florianópolis: Ed. Mulheres/Edufsc; Maceió: Edufal, 2017.

Lipovetsky, Gilles. El imperio de lo efímero: la moda y su destino em las sociedades modernas. Tradução de Felipe Hernández e Carmén López. Barcelona: Editorial Anagrama, 2017.

Macedo, Ana Gabriela e Amaral, Ana Luísa (orgs.): Dicionário da crítica feminista. Porto: Edições Afrontamento, 2005.

Massey, Doreen. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Tradução de Hilda Pareto Maciel e Rogério Haesbaert. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

Polesso, Natália Borges. Amora. Porto Alegre: Não Editora, 2015.

Telles, Lygia Fagundes. A noite escura e mais eu. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995.

Young, Iris Marion. La justicia y la política de la diferencia. Tradução de Silvina Álvarez. Madrid: Ediciones Cátedra, 2000.

Publicado
2021-05-05
Como Citar
LEAL, V. M. Desconfortos ressignificados nas narrativas de Natalia Borges Polesso e Carol Bensimon. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 33, p. 48–60, 5 maio 2021.
Seção
Artigos