Barroquismos em cordéis de testemunho: migrações, massacres e resistências nos sul e sudeste do Pará — Brasil

  • Hiran de Moura Possas Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará
Palavras-chave: cordel, movimentos sociais, memória, barroquismo

Resumo

O escrito é parte da memória de pesquisa objetivando analisar folhetos de cordéis acompanhados de entrevistas com as autorias. Seria um estudo das manifestações do que chamaremos de literatura “subalterna” oral-escrita refratando universos simbólicos da região sul e sudeste do Pará: Marabá; Brejo Grande do Araguaia; Palestina do Pará, Eldorados dos Carajás e Projeto de Assentamento Palmares II (Município de Parauapebas). Desse exercício epistêmico de aprumada escuta, fundamentado por alguns pressupostos da história oral acompanhados de breves ensaios interpretativos, emergem fragmentos memoriais advindos, dentre outros, da luta pela terra e da Guerrilha do Araguaia. A simples descrição e o reconhecimento dessas texturas não obviamente significarão desnaturalizar, por completo, certos discursos depreciativos impostos aos artífices de manifestações artísticas incompreensíveis aos estudos culturais e/ou literários mais intolerantes, mas Manoel Lorota (Palestina do Pará), Silvandira (Vila Santa Rita/distrito do município de Brejo Grande do Araguaia), Valdir de Araújo (Eldorado dos Carajás) e “Seu Poeta” (P A Palmares II) conjugam, pelas interfaces da letra com a voz, e pelas redes de afetos agenciadas com essa pesquisa, outras artes e histórias, que estrategicamente são alijadas e depreciadas pelos exercícios acadêmicos classificadores-hierarquizantes.

Referências

Adorno, Theodor W. O que significa elaborar o passado. Educação e emancipação. Porto Velho: Editora Universidade Federal De Rondônia, 1995.

Agamben, Giorgio. O que é o Contemporâneo? E outros ensaios. Tradução de Vinícius Encastro Honesko. Chapecó, Santa Catarina, Brasil: Argos, 2009.

Bakhtin, Mikhail Mikhaĭlovich et al. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1979.

Benjamin, Walter. Sobre o conceito de História. In: Magia e Técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1996.

Calvino, Italo. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

Carpentier, Alejo. América, la imagen de una conjunción. Rubí (Barcelona): Arthropos Editorial. 2004.

Carpentier, Alejo. Lo barroco y real maravilloso. Disponível em: https://circulodepoesia.com/2010/12/lo-barroco-y-lo-real-maravilloso-conferencia-de-alejo-carpentier/. Acesso em: 02 de jan. 2015.

Clifford, James. “Sobre a autoridade etnográfica”. In: A experiência etnográfica. A antropologia e literatura no século XX. Rio de Janeiro: UFRJ, 1998.

Fanon, Frantz. Peles negras, máscaras brancas. Tradução de Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

Foucault, M. A vida dos homens infames. Estratégia, poder-saber. Ditos e escritos IV. Rio de Janeiro: Forense Universitária, p. 203-222.

Foucault, M. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

Glissant, Édouard. Introdução a uma poética da diversidade. Tradução Enilce do Carmo Albergaria Rocha. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2005.

Glissant, Édouard. Poetics of Relation. Translated by Betsy Wing. United States of America: University of Michigan Press, 1997.

Hur, Domenico Uhng. Memória e Tempo em Deleuze. Multiplicidade e Produção. Athenea Digital, Barcelona, p.179-190, 2013.

Orlandi, Eni Pulcinelli. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. Campinas: Editora da Unicamp, 1995.

Peirano, Mariza. Etnografia não é método. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 20, n. 42, p. 377-391, 2014.

Pires Ferreira, Jerusa. Cultura das bordas: edição, comunicação, leitura. São Paulo: Ateliê Editorial, 2010.

Possas, Hiran de Moura et al. “Recifrando” Acordes: Marabá das Bordas. Revista Boitatá. Revista do GT de Literatura Oral e Popular da ANPOLL, Londrina, nº 21, 2016.

Queiroz, Renato da silva. O herói-trapaceiro. Reflexões sobre a figura do trickster. São Paulo: Tempo Social. Revista Social, 1991.

Rama, A. Transculturación narrativa en América Latina. México: Siglo XXI, 1982.

Rolnik, Suely. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. Porto Alegre: Sulina/Editora da UFRGS, 2014.

Seligmann-Silva, Márcio. Narrar o trauma: a questão dos testemunhos de catástrofes históricas. Psicologia clínica, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, p. 65-82, 2008.

Serres, Michel. Filosofia Mestiça. Tradução de Maria Ignez Duque Estrada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

Spivak, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Trad. Sandra Regina Goulart Almeida; Marcos Pereira Feitosa; André Pereira. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2010.

Thomson, Alistair. Recompondo a memória: questões sobre a relação entre a história oral e as memórias. Projeto História, São Paulo, n. 15, p. 51-84, abr. 1997.

Vieira, António. “Sermão do Espírito Santo”. In: Sermões. São Paulo: Editora das Américas, vol. 5, p. 205-55, 1957 [1657].

Viveiros De Castro, E.; Sztutman, R. (Org.). Eduardo Viveiros de Castro — Série Encontros. Rio de Janeiro: Azougue, 2008.

Viveiros De Castro, E. A inconstância da alma selvagem e outros ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2001.

Viveiros De Castro, E. Metafísicas canibais: elementos para uma antropologia pós-estrutural. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

Viveiros De Castro, E. et al. Abaeté, rede de antropologia simétrica: entrevista com Marcio Goldman e Eduardo Viveiros de Castro. Cadernos de Campo (USP), São Paulo, v. 14/15, p. 177-190, 2006.

Tupiassú, Amarílis. O signo Max. Disponível em http://www.culturapara.art.br/maxmartins/opiniao_01.htm. Acesso em: 05 jan. 2015.

Zizek, Slavoj. Sonhando perigosamente com Slavoj Zizek. Disponível em http://umbigodascoisas.com/2012/12/02/slavoj-zizek-entrevista/. Acesso em 19 set. 2014.

Zumthor, Paul. Performance, recepção e leitura. Tradução de Jerusa Pires Ferreira e Suely Fenerich. São Paulo: Hucitec/Educ, 2000.

Zumthor, Paul. A letra e a voz: a “literatura” medieval. Tradução de Amálio Pinheiro/Jerusa Pires Ferreira. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

Zumthor, Paul. Tradição e esquecimento. Tradução de Jerusa Pires Ferreira e Suely Fenerich. São Paulo: Hucitec, 1997.

Zumthor, Paul. Performance, recepção e leitura. Tradução de Jerusa Pires Ferreira e Suely Fenerich. São Paulo: Hucitec/Educ, 2000.

Araújo, Valdir. Entrevista Oral [gravada] realizada por Larissa Sousa. Palestina do Pará, 27 Març. 2017. 1h 12 min.

Lorota, Manuel. Entrevista Oral [gravada] realizada por Monica Almeida. Palestina do Pará, 27 Març. 2016. 1h 12 min.

Lorota, Manuel. Entrevista Oral [gravada] realizada por Hiran de Moura Possas e Monica Almeida. Palestina do Pará, 27 Març. 2017. 1h 12 min.

Silvandira. Entrevista Oral [gravada] realizada por Monica Almeida. Palestina do Pará, 27 Març. 2017. 1h 12 min.

Seu Poeta. Entrevista Oral [gravada] realizada por Aline da Silva e Silva . Parauapebas (PA Palmares II), 26 Out. 2017. 1h 00 min.

Publicado
2020-05-05
Como Citar
POSSAS, H. Barroquismos em cordéis de testemunho: migrações, massacres e resistências nos sul e sudeste do Pará — Brasil. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 31, p. 181-199, 5 maio 2020.