A doutrina de combate da expansão imperial na cronística portuguesa da Terra de Santa Cruz

  • Wellington José Gomes Freire UEFS
Palavras-chave: expansão marítima portuguesa,, guerra, narrativas de cavalaria

Resumo

O presente artigo pretende se deter sobre a representação dos modos de condução da guerra da expansão imperial portuguesa quinhentista contida nas narrativas cronisticas que tratam da presença militar lusitana na América portuguesa. Pleiteia-se que os métodos de combate descritos nos textos sugerem que a revolução nos assuntos militares, termo que designa na bibliografia especializada o processo de modernização dos exércitos europeus modernos, não fincou raízes em solo lusitano quatrocentista e quinhentista. Os guerreiros e conquistadores que se assenhorearam de uma vasta porção do globo utilizaram predominantemente de táticas de incursão de infantaria desordenada ao estilo de razias. O estudo se baseou em um corpus constituído por cronistas quatrocentistas e quinhentistas: Gomes Eanes de Zurara; Rui de Pina; João de Barros; Lopes de Castanheda; Gaspar Correia; Gabriel Soares de Souza e Frei Vicente de Salvador.

Referências

Albuquerque, Luís de. Navegadores, Viajantes e Aventureiros Portugueses, Séculos XV e XVI. Lisboa: editorial Caminho, 1992.

Azevedo, Thales de. Povoamento da Cidade de Salvador. Salvador: Prefeitura Municipal de Salvador, 1968. 1949.

Bernard, Carmen. Gruzinski, Serge. História do Novo Mundo. São Paulo: Edusp, 2001.

Campos, João da Silva. Crônica da Capitania de São Jorge dos Ilhéus. Ilhéus: Editus, 2006.

Caminha, Pero Vaz de. Carta a el rey Dom Manuel. Rio de Janeiro: Ediouro, 2000

Cardim, Fernão. Tratado da Terra e Gente do Brasil. São Paulo: Cia. Da Editora Nacional, 1939.

Carneiro, Edson. A Cidade de Salvador (1549) uma reconstituição histórica. São Paulo: civilização brasileira, 1985.

Clastres, Pierre. Arqueologia da violência. Ensaios de antropologia política. Brasiliense: São Paulo, 1984.

Clausewitz, Carl Von. Da Guerra. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

Coelho, Duarte. Cartas a El Rei. Recife: Massangana, 1997.

Cortesão, Jaime. Os Descobrimentos Portugueses. Lisboa: Edições 70, 1992

Cortez, Hernán. A conquista do México. Porto Alegre: LPM editores, 2009

Frota, Guilherme de Andrea. Quinhentos anos de História do Brasil. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 2000.

Freyre, Gilberto. Casa Grande e Senzala. São Paulo: Global, 2000.

Gandavo, Pero de Magalhães. História da Província de Santa Cruz: tratado da terra do Brasil. São Paulo: Obelisco, 1964.

Godinho, Vitorino Magalhães. Mito e Mercadoria, Utopia e prática de navegar. Séculos XII-XVIII. Lisboa: Difel, 1990.

Hemming, John. Ouro vermelho: a conquista dos índios brasileiros. São Paulo: Edusp, 2007.

Holanda, Sérgio Buarque de. Visão do paraíso: os motivos edênicos no descobrimento e colonização do Brasil. 6ª. Ed., São Paulo: Brasiliense, 2007.

Peres, Damião. História Dos Descobrimentos Portugueses. Porto: vertente, 1992.

Risério, Antônio. Uma história da cidade da Bahia. Rio de Janeiro: Versal, 2000.

Sampaio, Teodoro. Fundação da Cidade de Salvador. Salvador: Typographia Beneditina, 1949.

Salvador, Frei Vicente de. História do Brasil. São Paulo: Melhoramentos, 1979.

Southey, Robert. História do Brasil. Brasília: Edições do Senado Federal, 2010.

Souza, Gabriel Soares de. Tratado Descritivo do Brasil. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2000.

Staden, Hans. Duas viagens ao Brasil. Itatiaia: Belo Horizonte, 1974.

Taunay, Afonso E. História das Bandeiras Paulistas. São Paulo: Melhoramentos, 1975.

Tavares, Luís Henrique Dias. História da Bahia. São Paulo: Unesp, 2011.

Varnhagen, Francisco Adolfo. História geral do Brasil: antes de sua separação e independência de Portugal. São Paulo: Melhoramentos, 1979.

Vasconcelos, Simão de. Crónica da Companhia de Jesus. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1977.

Wehling, Arno. Formação do Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994.

Publicado
2021-07-28
Como Citar
FREIRE, W. A doutrina de combate da expansão imperial na cronística portuguesa da Terra de Santa Cruz. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 35, p. 45-70, 28 jul. 2021.
Seção
Artigos