A força-silêncio do estereótipo: as vozes de Um palimpsesto de putas, de Elvira Vigna

  • Ricardo Araújo Barberena
  • Ana Carolina Schmidt Ferrão
Palavras-chave: prostituição, estereótipo, mulher, subjetividade

Resumo

O presente texto detém-se na análise da obra de Elvira Vigna, Como se estivéssemos em palimpsesto de putas (2016). O processo de construção da personagem prostituta, bem como as características da narrativa que corroboram com o desenvolvimento da identidade, constituem o foco do trabalho. Estarão em pauta variados aspectos que contribuem para uma representação literária pautada no estereótipo; questões essas que envolvem o corpo feminino, a transformação em mercadoria e demais rótulos imputados as trabalhadoras sexuais, esses indivíduos pouco célebres do submundo erótico. A inserção da subjetividade na composição das personagens também será verificada, no intuito de reaver o protagonismo da prostituta — figura estigmatizada tanto na sociedade quanto na literatura — e seu reconhecimento como sujeito. Vigna habilmente apresenta uma série de estigmas para então derrubá-los com os questionamentos de uma aguçada narradora. Por intermédio do seu rol de prostitutas, ou, do seu palimpsesto de putas, ela emprega uma exposição crua e sucessiva de estereótipos, em um modelo denunciativo, que exprime para anular.

Referências

Bhabha, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

Bourdieu, Pierre. A dominação masculina: a condição feminina e a violência simbólica. Rio de Janeiro: BestBolso, 2017.

Brandão, Ruth Silviano. Mulher ao pé da letra: a personagem feminina na literatura. Belo Horizonte: Editora UFGM, 2006.

Calligaris, Eliana dos Reis. Prostituição: o eterno feminino. São Paulo: Escuta, 2005.

Dalcastagnè, Regina. Representações restritas: a mulher no romance brasileiro contemporâneo. In: DalcastagnÈ, Regina; Leal, Virgínia Maria Vasconcelos. (orgs.) Deslocamentos de gênero na narrativa brasileira contemporânea. São Paulo: Editora Horizonte, 2010.

Ferro, Eula Pereira. Prostituição e romance. Goiânia: Ed. UCG, 1997.

Figueiredo, Eurídice. Mulheres ao espelho: autobiografia, ficção, autoficção. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.

Hall, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

Landowski, Eric. Presenças do outro: ensaios de sociossemiótica. São Paulo: Perspectiva, 2012.

Rago, Margareth. Os prazeres da noite: prostituição e códigos da sexualidade feminina em São Paulo. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

Vigna, Elvira. Como se estivéssemos em palimpsesto de putas. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

Publicado
2021-05-05
Como Citar
BARBERENA, R.; FERRÃO, A. C. A força-silêncio do estereótipo: as vozes de Um palimpsesto de putas, de Elvira Vigna. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 33, p. 61-73, 5 maio 2021.
Seção
Artigos