Táticas do cotidiano em Estive em Lisboa e lembrei de você, de Luiz Ruffato

  • Sara Brandellero Leiden University
Palavras-chave: Luiz Ruffato, migração, prática do espaço, intertextualidade

Resumo

Este artigo analisa a novela Estive em Lisboa e lembrei de você, de autoria de Luiz Ruffato, focando as dinâmicas de poder articuladas na representação do migrante brasileiro e a experiência de deslocamento entendida como política, centrada na figura do protagonista, Sérgio de Souza Sampaio. A partir das formulações sobre as práticas do espaço urbano e da leitura de Michel de Certeau, o artigo defende a hipótese de que a representação do migrante em Ruffato está estritamente ligada ao posicionamento do próprio autor como escritor mineiro deslocado, que fala das margens, no referencial literário lusófono. Assim, o artigo discute como, através do que de Certeau chamaria de “caça ilegal”, de apropriação subversiva deste mesmo referencial, evidencia-se principalmente o diálogo intertextual com o poeta português Fernando Pessoa.

Referências

Augé, Marc. Non-places: introduction to an anthropology of supermodernity. Tradução de John Howe. London; New York: Verso, 1995.

Castro, Mariana Gray de. Pessoa and the modernist tradition. In: Parkinson, Stephen; Earle, Thomas; Pazos-Alonso, Cláudia (Ed.). Companion to Portuguese literature. Oxford: Legenda, 2009.

Certeau, Michel de. A invenção do cotidiano. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Vozes, [1980] 1998.

Chartier, Anne-Marie; Hébrard, Jean. A invenção do cotidiano: uma leitura, usos. Tradução de Mariza Romero. Revisão técnica de Yara Aun Khoury. Projeto História, São Paulo, v. 17, p. 29-44, 1998. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/11107/8151>. Acesso em: 16 jun. 2017.

Dalcastagné, Regina. Um território contestado: literatura brasileira contemporânea e as novas vozes sociais. Iberic@l, Paris, n. 2, p. 13-18, 2012. Disponível em: <http://iberical.paris-sorbonne.fr/wp-content/uploads/2012/03/002-02.pdf>. Acesso em: 25 maio 2017.

Debord, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, [1967] 1997.

Godet, Rita O. Entre o chão encontrado e o chão perdido: Estive em Lisboa e lembrei de você, de Luiz Ruffato. Aletria, Belo Horizonte, v. 22, n. 3, p. 131-138, 2012. Disponível em: <http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/aletria/article/view/3854>. Acesso em: 25 maio 2017.

Massey, Doreen. A global sense of place. In: Massey, Doreen. Space, place and gender. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1994. Disponível em: <https://www.unc.edu/courses/2006spring/geog/021/001/massey.pdf>. Acesso em: 25 maio 2017.

Pessoa, Fernando. Obra poética. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1986.

Pons, Pau O.; Travlou, Penny; Crang, Mike. Cultures of mass tourism: doing the Mediterranean in the age of banal mobilities. Farnham; Burlington: Ashgate, 2009.

Ramos, Tânia Regina Oliveira; Cadore, Amanda. Desamores expressos — Estive em Lisboa e lembrei de você. Navegações, Porto Alegre, v. 3, n. 2, p. 148-153, jul./dez. 2010. Disponível em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/navegacoes/article/view/8434>. Acesso em: 15 maio 2017.

Raynor, Cecily. Linguagem, espaço e nação: um mapeamento das identidades multigeográficas do protagonista imigrante. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 45, p. 159-182, jan./jun. 2015.

Rodrigues, Marco Antonio. Mobilidade precária em Terra estrangeira e em Estive em Lisboa e lembrei de você. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 39, p. 181-192, jan./jun. 2012.

Ruffato, Luiz. O homem que tinha urgência de viver. In: Pessoa, Fernando.

Quando fui outro. Antologia. Organização de Luiz Ruffato. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2006.

Ruffato, Luiz. Estive em Lisboa e lembrei de você. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

Ruffato, Luiz. Discurso para a abertura da Feira de Frankfurt, em 8 de outubro de 2013. Disponível em: <https://goo.gl/DN891d>. Acesso em: 16 jun. 2017.

Publicado
2018-08-30
Como Citar
BRANDELLERO, S. Táticas do cotidiano em Estive em Lisboa e lembrei de você, de Luiz Ruffato. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 27, p. 12-23, 30 ago. 2018.