Um romance sobre o tempo: Que cavalos são aqueles que fazem sombra no mar?, de António Lobo Antunes

  • Camila Stefanello
  • Raquel Trentin Oliveira
Palavras-chave: configuração do tempo, experiência temporal, Paul Ricoeur, Que cavalos são aqueles que fazem sombra no mar?, António Lobo Antunes

Resumo

Este artigo analisa a singular configuração do tempo no romance Que cavalos são aqueles que fazem sombra no mar? (2009), do escritor português António Lobo Antunes, com base, sobretudo, na teoria de Paul Ricoeur, e procura compreender a natureza da experiência temporal manifestada no discurso memorialístico das personagens narradoras.

Referências

Antunes, António Lobo. Que cavalos são aqueles que fazem sombra no mar? Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.
Bachelard, Gaston. A dialética da duração. São Paulo: Ática, 1994.
Cabral, Eunice. Tempo o espaço na obra literária de Antonio Lobo Antunes. Études romanes de Brno, Brno, v. 1, n. 30, p. 275–282, 2009. Disponível em: .
Martins, Ana Cristina. Transposição e atemporalidade: “A ordem natural das coisas”. In: Cabral, Eunice; Jorge, Carlos J. F.; Zurbach, Christine. A escrita e o mundo em António Lobo Antunes. Actas do Colóquio Internacional António Lobo Antunes da Universidade de Évora. Lisboa: Dom Quixote, 2004.
Ricoeur, Paul. Tempo e narrativa. Campinas: Papirus, 1994. v. 1
Ricoeur, Paul. Tempo e narrativa. Campinas: Papirus, 1995. v. 2.
Rosenfeld, Anatol. Texto/Contexto. São Paulo: Perspectiva, 1996.
Publicado
2018-05-23
Como Citar
STEFANELLO, C.; OLIVEIRA, R. Um romance sobre o tempo: Que cavalos são aqueles que fazem sombra no mar?, de António Lobo Antunes. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 26, p. 79-95, 23 maio 2018.
Seção
Artigos