A caracterização dos livros digitais a partir de sua materialidade

Palavras-chave: design, e-book, livro eletrônico, remediação

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi mapear os artefatos que são atualmente denominados “livros digitais”, caracterizando-os a partir do cruzamento dos recursos próprios do meio digital com as principais especificidades dos livros impressos. A metodologia utilizada abrangeu revisão bibliográfica e observação do objeto de estudo. Neste estudo o livro foi percebido como um artefato com propriedades flexíveis, decidindo-se, por isto, propor uma série de princípios que, juntos, possam ser utilizados para caracterizar esse tipo de publicação, independente de ela ser digital ou impressa. Logo, chegou-se a conclusão de que o e-book é um conteúdo digital com as mesmas características de um livro e que pode explorar, além do texto e da imagem, recursos da mídia digital, tais como interatividade, som, vídeo e animação. Através das características predominantes dos artefatos analisados, foram identificados os seguintes tipos de livros digitais: customizável, PDF, digitalizado, multimídia e interativo.

Referências

Bar, François; Pisani, Francis; Weber, Matthew. Mobile technology appropriation in a distant mirror: baroque infiltration, creolization and cannibalism. In: Seminario sobre Desarrollo Económico, Desarrollo Social y Comunicaciones Móviles en América Latina. Fundación Telefónica. Buenos Aires, 2007.

Bardin, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

Bastos, Marcus Vinicius Fainer. Ex-Crever? literatura, linguagem, tecnologia. 2005. Tese (Programa Comunicação e Semiótica) da Pontífica Universidade Católica de São Paulo. Orientador(es): Maria Lucia Santaella.

Bolter, J. David; Grusin, Richard. Remediation: Understanding New media. Cambridge: The MIT Press, 2000.

Chartier, Roger. A Ordem dos Livros. Lisboa: Vega, 1997.

Chartier, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: Editora UNESP/Imprensa Oficial do Estado, 1999.

Dadico, Luciana. Constelações do livro: fisiognomia e experiências de leitura. 2011. 221p. Tese (Doutorado) — Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, 2011. Orientador(es): Iray Carone

Dourish, P. Social Computing. In: Where the Action Is: the foundations of embodied interaction. Cambridge: The MIT Press, 2004. pp. 55-97.

Fragoso, Suely; Recuero, Raquel; Amaral, Adriana. Métodos de Pesquisa para Internet. Ed. Sulina: Porto Alegre, 2012.

Gruszynski, Ana Cláudia. A imagem da palavra: retórica tipográfica na pós-modernidade. Teresópolis, RJ: Novas Ideias, 2007.

Guerrato, Dani. ePub: Aprenda a criar um livro digital. In: Tabless. 2012. Disponível em: http://tableless.com.br/epub-aprenda-a-criar-um-livro-digital/#.UjhNt8ZwrdQ. Acesso em: 5 jan. 2014.

Gumbrecht, H. U. Perception versus Experience. In: Lenoir, T. (org.). Inscribing Science, Scientific Texts and the Materiality of Communication. Stanford: Stanford University Press, 1998. pp. 351-364.

Hendel, Richard. O design do Livro. 2ª ed. Cotia: Ateliê Editorial, 2006. 224 p.

ISBN, Agência Brasileira do ISBN. Publicações eletrônicas. 2010. Disponível em: http://www.isbn.bn.br/website/publicacoes-eletronicas. Acesso em: 3 jan. 2014.

Landow, George P. Hipertext 3.0: Critical Theory and New Media in an Era of Globalization. 3 ed. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 2006.

Lyons, Martyn. A palavra impressa: história da leitura no século XIX. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 1999.

Meyers, Peter. Breaking the page — Preview edition. O’Reilly Media. 2011.

Nielsen, Jakob. Projetando Websites. 1ª ed. São Paulo: Campus, 1999.

Patton, Michael Q. Qualitative research & Evaluation Methods. 3ª ed. London: Sage, 2002

Procópio, Ednei. O livro na era digital: o Mercado editorial e as mídias digitais. São Paulo: Giz Editorial, 2010.

Sehn, Thaís Cristina Martino; Fragoso, Suely. Um retrato dos livros digitais: desenvolvimento de instrumental metodológico para estudo empírico, p. 3129-3141. In: Anais do 11º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design {[= Blucher Design Proceedings, v. 1, n. 4{]. São Paulo: Blucher, 2014. DOI: href{https://doi.org/10.5151/designpro-ped-00679{10.5151/designpro-ped-00679.

Sehn, Thaís Cristina Martino. As possíveis configurações do livro nos suportes digitais. 2014. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Informação) — Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Orientador: Suely Fragoso. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/97246. Acesso em: 5 mar. 2018.

Weinberger, David. A nova desordem digital: os novos princípios que estão reinventando os negócios, a educação, a política, a ciência e a cultura. Rio de Janeiro: Elsevier; Campus, 2007.

Publicado
2019-08-28
Como Citar
SEHN, T. C.; FRAGOSO, S.; AYMONE, J. L. A caracterização dos livros digitais a partir de sua materialidade. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 30, p. 111–129, 28 ago. 2019.