A voz da dignidade em O que os cegos estão sonhando? de Noemi Jaffe

  • Fábio Waki Universidade de Coimbra
Palavras-chave: Direitos Humanos, Crítica literária engajada, Segunda Guerra Mundial, História e memória, Empatia

Resumo

Este artigo propõe uma leitura de O que os cegos estão sonhando? (2014), de Noemi Jaffe, a fim de discutir como uma das principais responsabilidades da crítica literária, à luz da relação entre literatura e direitos humanos, é, para além de colaborar com a eficiência da elaboração e aplicação desses direitos, a de colaborar com uma explicitação de tudo o que pode consistir em uma dimensão da dignidade humana. Ciente de que dignidade é um conceito polêmico no contexto dos direitos humanos, proponho debater aqui menos como a literatura pode nos ajudar a definir o que é dignidade – uma perspectiva recorrente na crítica literária à luz dos direitos humanos –, e mais como ela pode contribuir com a ideia de que na impossibilidade de se definir dignidade há, enfim, uma boa premissa para se defender os direitos humanos.

Referências

A Lista de Schindler. Direção de Steven Spielberg. Los Angeles: Universal Pictures, 1993. (195 min.)

Assembleia Geral das Nações Unidas. Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável. Nova Iorque, EUA, 2016. Disponível em: https://www.instituto-camoes.pt/images/ods_2edicao_web_pages.pdf. Acesso em: 24 nov. 2019.

Assembleia Geral das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Paris, França, 10 dez. 1948. Disponível em: https://www.ohchr.org/EN/UDHR/Pages/Language.aspx?LangID=por. Acesso em: 24 nov. 2019.

A Vida é Bela. Direção de Roberto Benigni. Roma: Melampo Cinematografica. 1997 (112 min.)

Brasil. Comissão Nacional da Verdade. Relatório – volume 1. Brasília, 2014. Disponível em: http://cnv.memoriasreveladas.gov.br/images/pdf/relatorio/volume_1_digital.pdf. Acesso em 24 nov. 2019.

Conselho Europeu. Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia. Nice, França, 7 dez. 2000. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/?uri=LEGISSUM%3Al33501. Acesso em: 24 nov. 2019.

Jaffe, Noemi. O que os cegos estão sonhando?. Lisboa: Relógio D’Água, 2016.

Kertész, Imre. Who owns Auschwitz?. Tradução de John McKay. The Yale Journal of Criticism, Baltimore, v. 4, n. 1, p. 267-272, Primavera 2001. Disponível em: https://muse.jhu.edu/article/36875. Acesso em: 10 nov. 2019.

Pater, Walter. The Renaissance: studies in art and poetry. Berkeley: University of California Press, 1873/1980.

Slaughter, Joseph. A question of narration: the voice in international human rights law. Human Rights Quarterly, Baltimore, v. 19, n. 2, p. 406-440, maio 1997. Disponível em: https://muse.jhu.edu/article/13578. Acesso em 10 nov. 2019.

Santos, Boaventura Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: Santos, Boaventura Sousa; Meneses, Maria Paula (orgs.) Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

Publicado
2021-02-26
Como Citar
WAKI, F. A voz da dignidade em O que os cegos estão sonhando? de Noemi Jaffe. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 32, p. 38-56, 26 fev. 2021.