Literatura, critica literária e politização dos direitos humanos

  • Alessia Di Eugenio Università di Bologna
Palavras-chave: Literatura, Critica Literária, Direitos Humanos, Memória

Resumo

Hoje, a defesa dos direitos humanos, em todos os campos do saber, é fundamental e imprescindível. Ao mesmo tempo, a história recente mostra a necessidade de problematizar o seu uso em alguns contextos de “aplicação”. Por meio desse artigo, queremos reconstruir uma multiplicidade de posições que analisam as contradições e o uso conservador dos direitos humanos, colocar a importante questão da necessidade da politização desses direitos e refletir sobre a relação com a literatura e a crítica literária à luz dessas posições e problematizações (usando também o romance de Maria Valéria Rezende, Outros Cantos, como caso de aplicação do discurso).

Referências

Badiou, Alain. L’Etique: essai sur la conscience du mal. Caen: Nous, 2003.

Candido, Antonio. O direito à literatura. In: ___. Vários Escritos. 4 ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Ouro sobre Azul/Duas Cidades, 2004. p. 169-191.

Carballido, Manuel Gándara. Los derechos humanos en el siglo XXI: una mirada desde el pensamiento critico. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: CLACSO, 2019.

Ginzburg, Jaime. Literatura e direitos humanos: notas sobre um campo de debates. In: Bittar, Eduardo (org.). Educação e metodologia para os direitos humanos. São Paulo: Quartier Landin, 2008. p. 339-360.

Natali, Marcus. Além da literatura. Literatura e Sociedade, São Paulo, v. 11, n. 9, p. 30-43, 2006. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i9p30-43. Acesso em: 28 nov. 2019.

Perugini, Nicola; Gordon, Neve. Il diritto umano di dominare. Traduzione di Andrea Aureli. Roma: Nottetempo, 2016.

Rezende, Maria Valéria. Outros Cantos. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2016a.

Rezende, Maria Valéria. Maria Valéria Rezende lança romance inspirado em sua atuação contra ditadura. [Entrevista concedida a] Guilherme Freitas. O Globo, Rio de Janeiro, 5 jan. 2016b. Disponível em: https://oglobo.globo.com/cultura/livros/maria-valeria-rezende-lanca-romance-inspirado-em-sua-atuacao-contra-ditadura-3-18407009. Acesso em: 28 nov. 2019.

Santos, Cecília MacDowell. Memória na justiça: a mobilização dos direitos humanos e a construção da memória da ditadura no Brasil. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 88, p. 127-154, 2010. Disponível em: https://journals.openedition.org/rccs/1719. Acesso em: 28 nov. 2019.

Tota, Anna Lisa; Lucchetti, Lia; Hagen, Trever. Sociologie della memoria: verso un’ecologia del passato. Roma: Carrocci, 2018.

Ustra, Carlos Alberto Brilhante. Rompendo o Silêncio. São Paulo: Supervirtual, 2003.

Vecchi, Roberto. Rituais de uma memória fraturada. Newsletter Memoirs, n. 75, 16 nov. 2019. Disponível em: https://memoirs.ces.uc.pt/index.php?id=22153&id_lingua=1&pag=22823. Acesso em: 28 nov. 2019.

Violi, Patrizia. State agency and the definition of historical events: the case of the Museo de la Memoria Y Los Derechos Humanos in Santiago, Chile. In: Bevernage, Berber; Wouters, Nico (eds.). The Palgrave Handbook of State-Sponsored History After 1945. London: Palgrave Macmillan, 2018. p. 415-430.

Publicado
2021-02-26
Como Citar
DI EUGENIO, A. Literatura, critica literária e politização dos direitos humanos. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 32, p. 9-22, 26 fev. 2021.